Kuthumi-Os Tipos de Almas

Queridos irmãos deste lindo planeta! SOU KUTHUMI!

Gosto de observar como a humanidade se comporta perante os desafios. Uns fazem de cada pedra um degrau para subir; outros preferem destruir a pedra, preferem se sentir fortes capazes de destruí-la; e outros simplesmente fazem daquela pedra um grande obstáculo e não têm o mínimo interesse em tirá-la do caminho, pois simplesmente a vê como uma parede como algo intransponível.

Em que situação você se coloca, como você enxerga os obstáculos? Para cada uma destas situações há uma alma, há um tipo de alma. Nem todas as almas são iguais.

Ao assumir um corpo físico, cada alma traz nele boa parte das suas características. Nunca pensem que uma alma fica parada no mesmo lugar, ela encarna em vários pontos do planeta; e algumas eu diria que, entre encarnações da Terra, encarna em outros orbes para trazer sabedoria e conhecimento para os irmãos depois.

Existem aquelas almas que gostam de aprender, que gostam de conhecer novos mundos, novas culturas, novos caminhos, e são essas almas que ao encarnarem usam as pedras como degraus; gostam dos desafios, gostam de resolver problemas; gostam de se sentir capazes de ultrapassar qualquer coisa. São almas evoluídas, são almas que procuram a Luz, são almas cujo caminhar não é 100% perfeito, mas têm um caminhar iluminado, de aprendizado e de sabedoria. E todas essas características, ao encarnar, se fazem vistas na consciência do corpo físico ao qual elas pertencem. E aquele ser assume todos esses predicados, todas essas características.

Existem aquelas almas que não gostam muito de desafios, são mais rústicas. Não são almas acomodadas, não, são almas que gostam de moldar, construir, derrubar, levantar. São almas que gostam de criar, criar com suas próprias mãos, criar com os seus méritos. São almas muitas vezes muito inteligentes, e outras vezes nem tanto, mas são almas que ao verem uma grande pedra pensa logo o que poderá fazer com ela. Poderá transformá-la em pedacinhos e construir uma nova casa; poderá moldá-la e fazer uma escultura. Então são almas que gostam de criar, moldar, transformar, mas nunca veem aquela pedra como um obstáculo, elas veem como algo em que podem crescer, mudar, transformar, tirar a força daquela pedra e muitas vezes até torná-la uma obra de arte, como uma grande escultura.

Temos aquelas almas que são mais acomodadas. Sim, temos que usar o termo acomodação, porque são almas que não se desafiam, são almas que não procuram a evolução, são almas que caminham ao sabor do vento. Se o vento está soprando forte, elas navegam em águas revoltas e vão longe; se o vento não sopra, elas ficam paradas, são incapazes de pegar um remo. São almas que acham que tudo o que acontece tem que ser absorvido e nunca contestado. Então não há o que fazer, não há o que mudar, não há o que aprender. Há apenas que aceitar. Aceitar o sofrimento, aceitar a dor, aceitar aquela pedra no caminho.

O máximo que podem fazer é tentar olhar para os lados e ver se há um caminho; ver se há uma forma de passar por aquela pedra. Mas se for uma mata muito fechada, se não houver um caminho, é capaz de ficar milênios ali sentado, sem sair do lugar, esperando que algo faça com que aquela pedra saia do lugar. São almas medrosas, almas que não, não querem conquistar nada. Têm medo de tudo, porque acham que se contornar o caminho ou se tentar encontrar outro caminho além daquela pedra, poderão encontrar uma outra pedra. Então preferem ficar aonde estão pelo menos sabem que ali o caminho já é conhecido.

Eu não diria que são almas fracas, que são almas preguiçosas. Algumas até são. Algumas chegam ao cúmulo de se deitar e esperar o que vier acontecer. Se alguém lhe der comida, muito bem, e se não der, se morrer, está tudo certo, nada fará. Sim, existe esses extremos. Existem aquelas que rezam para a pedra sair do lugar, mas nunca fazem nada para que ela saia. Querem que outro venha e tire a pedra do lugar. É incapaz de pensar em cavar algo, encontrar outro caminho, tentar mover a pedra de lugar com a ajuda de muitos. “Não. Se a pedra foi colocada ali, é porque eu não poderia passar por aquele caminho” E se contenta em não evoluir. Se contenta em ficar parado; se contenta em não aprender nada.

É claro que estou fazendo aqui situações figurativas, mas que refletem em muito como as almas são. Claro que muitas podem ter características dos 3 pontos que citei. Ora são almas que querem evoluir, ora são almas que querem ficar quietas e não fazer nada. Mas as características de uma alma sempre se sobressaem. Pode ser que ela oscile entre vários tipos, mas ela sempre será uma alma de um desses tipos. E aí eu lhe pergunto: Em qual deles você se encaixa? Não, não estou aqui fazendo um julgamento. Eu não estou sentado antes da pedra, olhando o que você irá fazer com ela. Nem eu, nem ninguém. Isto é apenas uma constatação de como as almas veem o mundo: como um desafio, como algo que pode ser transformado ou como algo que não tem nada a ser feito, apenas aceito.

Como você enxerga as suas dificuldades? Como você enxerga o mundo? É interessante olharmos para vocês por estes ângulos, e podemos ver claramente que a grande maioria dos habitantes deste planeta está no terceiro grupo; naquele grupo em que olha para aquela pedra, senta, chora, ora, grita, esperneia, mas não faz nada para tirar a pedra; quer sempre que alguém faça algo. Acha que os outros são culpados; alguém colocou aquela pedra ali. Então quem colocou que tire; mas quem colocou? É incapaz de fazer algo, é incapaz de tentar encontrar uma saída, prefere sentar e chorar. A grande maioria é assim, infelizmente.

E neste tempo agora de transição, de transformação, as pedras estão vindo uma atrás das outras. Então muitas vezes as pedras são pequenas sim e até conseguem subir e superar, mas logo à frente vem outra. Então a grande maioria está cansada; a grande maioria está sentada olhando para a pedra, sem saber o que fazer com ela. E será uma pena, porque desta forma não há chance de evolução, não há chance de chegar a Quinta Dimensão. Mas é o que está acontecendo.

Os outros 2 grupos estão crescendo, a cada dia, e tomara, gostaríamos muito, que estes 2 grupos aumentassem muito em tamanho, para que mais da metade do planeta conseguisse ascender. Ainda há um pouco de tempo, porque tudo está acontecendo para a própria evolução de vocês. A Luz que chega, dá a sabedoria; a Luz que chega dá o ânimo; a Luz que chega dá as soluções. E esperamos que com isso, essas mentes mais descansadas, possam encontrar o caminho para sair daquelas pedras, e possam tomar novamente forças para conseguir passar por elas e se juntar ao grande grupo, que se forma do outro lado.

De nada adianta você sentar e chorar. De nada adianta você blasfemar. De nada adianta você gritar. O momento agora é de olhar cada desafio e superá-lo, tendo a certeza que cada um deles, é um degrau que você está subindo; é um ponto na escada da sua evolução. Então, que caminho você escolhe? Onde você está neste momento? Como você está visualizando todo este processo?

Você tem um pouco de cada? Então chegou o momento de você escolher para que lado você quer efetivamente pender; ou para o lado do desafio ou para o lado da acomodação. Escolham, mas escolham rápido. Ainda tem um pouco de tempo, sim, mas pode não ser o tempo necessário para a sua evolução.

Posts recentes

2 comentários em “Kuthumi-Os Tipos de Almas”

  1. EU SOU a Artista que Transforma esta pedra na mais sublime Obra de Arte aos Olhos de DEUS/PAI/MÃE, embelezando meu caminho em rumo à Quinta Dimensão.
    Gratidão Querido Mestre KUTUMI, pelo PRESENTE que me é PRESENTE.
    Gratidão Família AnjosLuzTerapias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras