Sananda – Precisamos Encontrar A Nossa Felicidade

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!

Mais uma vez, sou grato por ter essa oportunidade de conversar um pouco com vocês. Sim, não existe apenas ensinamentos, não existe apenas orientações; existe um amor imenso e uma amizade, tão imensa quanto, em relação à cada um de vocês. Então ao mesmo tempo que muitos me consideram como pai, mentor, orientador, mestre; eu também posso ser um irmão, um amigo, um conselheiro, alguém em que vocês totalmente podem confiar.

Nos tempos atuais, os sentimentos estão muito misturados. No seu planeta agora, podemos dizer que todos os sentimentos existentes estão sendo vibrados, alguns mais e outros menos, mas todos estão fazendo parte deste grande momento. Gostaríamos muito que os sentimentos elevados fossem aqueles que estivessem predominando todo o cenário nesse momento. Mas infelizmente não é; infelizmente são os sentimentos de baixas frequências que estão dominando o planeta neste momento. E o pior deles: o medo; o medo de morrer, o medo de não comer, o medo de não trabalhar, o medo de não ter como sustentar a família, o medo da violência… Eu ficaria aqui falando, milhares de tipos de medos.

Este é o sentimento mais emanado no planeta, neste momento. E mesmo vocês, aqueles que estão aqui neste caminho e que entendem que estão se planejando, se preparando para a nova jornada, para à Quinta Dimensão; mesmo vocês, em alguns momentos do dia, vibram o medo. Medo do que virá, medo de como será, medo de como será a passagem, medo: “Irei ou não irei?” Vocês também emanam medo. É claro, que eu também não diria que o medo que vocês emanam, é tão forte quanto o dos demais, mas é medo, é o sentimento do medo. E esse sentimento, é aquele que baixa as vibrações de vocês imediatamente. Mesmo que vocês não estejam pensando no assunto, mesmo que vocês naquele momento estejam até fazendo outras tarefas, mas quando vocês pensam em determinado assunto, e aquilo lhes traz apreensão, dúvida, incerteza, o medo se instala. E garanto a vocês que ele é poderoso, ele mexe com a vibração de vocês, de uma maneira que vocês não conhecem e nem podem imaginar.

Estar na Terceira Dimensão é estar sempre sujeito à todos esses problemas, à toda sorte de problemas; problemas financeiros, problemas de saúde, problemas de relacionamentos, problemas de trabalho; inúmeros tipos de problemas. E entendemos que para vocês é praticamente impossível, não ter nenhum tipo de dúvida e apreensão em relação à nada. Porque acima de tudo, vocês precisam comer, vocês precisam pagar suas contas, vocês precisam se fazerem felizes, e nesta hora vem o instinto de sobrevivência; e aquela pergunta, que nunca cala: “Será que este caminho que estou escolhendo me dará condições de ter tudo que preciso? Será que este caminho me dará condições de sustentar minha família?”

E muitas vezes pelo medo, vocês permanecem aonde estão, mesmo sendo um caminho triste, enfadonho, que lhe traga diariamente aborrecimentos, desgastes; você prefere continuar. Porque a despeito de tudo isso que você sente, aquilo lhe dá o pão de cada dia. É, é a ótica do ego, é aquela ótica do ego de que não mude o que está dando certo, não importa se aquilo lhe traz infelicidade, se está dando certo, atende às suas necessidades, então não mude nada, permaneça onde está. É desta forma que o ego manipula vocês, porque ele nunca incentiva a caminhos novos, ele nunca incentiva à decisões que vão levar você a felicidade, a alegria, ao amor. Primeiro porque para o ego, esses sentimentos são sem importância. Porque como muitos dizem: “Não pagam as contas”.

Então para quê procurar algo que vai lhe trazer alegria, se você não tem certeza que no fim do mês, você conseguirá saldar tudo o que deve? E aí vocês se mantêm naquele deitar e levantar para uma vida medíocre, uma vida sem sentido, uma vida sem amor, uma vida sem alegria, mas com as contas pagas, com a família sustentada. Mas e você? E os seus sentimentos? E a sua realização, aonde ficam? Não você não pode abrir mão de nada, porque você pensa primeiro na sua família. Entendo e aplaudo a sua forma de pensar, só que a vida não é fazer somente pelos outros.

Concordo que você tem uma família, concordo que você tem crianças para se alimentar, certo. Só que você sendo um ser infeliz, magoado, triste, o que você está passando para suas crianças? Que o mundo é isso; apenas trabalhar, trabalhar, sem nenhum tipo de prazer, e chegar em casa sempre emburrado, sempre nervoso, explodindo por qualquer coisa. Aí eu lhe pergunto: Esta vida vale a pena? Ou será que uma vida um pouco mais contida, um pouco mais planejada, mas com todos felizes rindo à toa, não seria uma vida melhor? Será que mesmo ganhando pouco, você não chegaria em casa com felicidade plena? E estaria passando para os seus filhos, exatamente isso, que vale a pena brigar por aquilo que se quer, por aquilo que se gosta.

Hoje, a grande maioria dos seres deste planeta, agem assim, sabotam tudo aquilo que seja bom para si e pensam apenas nos outros. Mas e vocês mesmos? Aí muitos perderam esses empregos que lhes davam o sustento. E agora? Aquilo era tão certo, aquilo era tão eterno e como que agora aquilo tudo acaba? E todos aqueles medos voltam, com força total. E aí você se desespera, porque parece que os caminhos estão todos fechados. Você não era um mau funcionário, mas não consegue nada em lugar algum. Por quê? Será porque você está procurando mais do mesmo? Você continua procurando aquela sua vida medíocre? Ah, entendo, mas que lhe dava condições de pagar as contas e agora você não tem nada. E por que não se reinventar? E por que não, fazer algo que lhe dê prazer? E por que não mostrar a sua família; que a felicidade, a paz, a alegria, é muito mais importante do que muito dinheiro na conta?

Vale a pena mudar, vale a pena escolher novos caminhos, mas caminhos que tragam a felicidade. Cada um de vocês tem um sonho ou mais de um; por que não correr atrás deles? Por que não acreditar que eles são possíveis? Por que se submeter àquela vida regrada, triste, enfadonha, apenas por que você tem que manter a sua família? Mas e a relação com a sua família; ela é boa? Eu duvido que seja, porque você está sempre estressado, sempre chateado, sempre aborrecido com tudo. Agora, se você escolhe algo que lhe dê prazer e que você sinta que está fazendo bem para você mesmo e para o próximo; como fica a sua relação dentro de casa?

Eu diria, que poderá haver momentos de dificuldades sim, porque cada novo caminho, são muitas variantes até que vocês se adaptem à ele. Mas se tudo é feito com amor, se tudo é feito com entrega, aquilo prospera. Acredite nisso. Estou aqui citando o exemplo do emprego, do trabalho, mas isto cabe para qualquer coisa; isto cabe para a profissão escolhida; isto cabe para o que fazer da sua vida. Vocês muitas vezes, escolhem somente o dinheiro: “Ah, isto aqui me trará uma vida farta e confortável” Sim, você poderá ter muito dinheiro na conta, mas a sua vida poderá ser: desgastante, sem brilho. Você não trabalha por amor e aquilo não rende, não prospera, e você fica cada vez mais indignado e chateado.

Então qual é a moral da história, de tudo isso que eu disse? Não será fácil meus irmãos, não será fácil meus filhos, não será fácil meus amigos; mudar de uma hora para a outra, seguir um caminho que o seu coração pede. Não, reconheço que fácil não é. Reconheço também, que muitos não terão apoio dos que estão à volta. Porque também foram acostumados a viverem, em função do dinheiro, não em função da felicidade, não em função de ver aquele outro feliz. “O outro que se dane, eu quero é ter dinheiro no meu bolso”. Muitos pensam assim.

Então o momento é de quebrar paradigmas, o momento é de quebrar as regras, o momento é de colocar o ego de castigo escondido dentro de uma caixa no porão, para que ele não fique lhe dando ideias que lhe faça apenas sobreviver. Porque é isso que o ego faz; ele não quer passar necessidade. Mas e se você confia, que Deus Pai/Mãe lhe suprirá todas as suas necessidades? Onde fica o medo? Onde fica aquele medo de mudar? Onde fica aquele medo de impor uma nova vida a você mesmo? E lhe digo mais: se há amor daqueles que estão à sua volta, todos preferirão você com um pouco menos, mas feliz, alegre e sorridente, do aquele ser birrento, aborrecido, chato, mas com dinheiro no bolso. Porque se aqueles que estão à sua volta, só pensam em dinheiro, qual foi o tipo de amor que você construiu ali? Não seria o momento de chamar todos para uma conversa? E mostrar que é o amor, que tem que vir em primeiro lugar? Porque quando há amor, todos se respeitam.

Pensem nisso. Pensem a respeito do que você construiu à sua volta. Será que ainda não dá tempo de mudar? De mostrar a eles que ali tem uma pessoa que é capaz de amar? Por que não tentar? Hoje, neste momento, eu quero que cada um de vocês, faça uma análise do que tem sido suas vidas, do que vocês têm feito por vocês, para se fazerem felizes. O que vocês têm feito? Vocês têm pensado somente nos outros? E em você? Sim, você têm responsabilidades; tem, você escolheu tê-las, mas não é por isso que a sua vida acabou. Aí dentro tem um ser humano que precisa ser feliz, que precisa se alegrar, que precisa encontrar formas que o façam feliz, nem que seja por alguns instantes no dia; mas formas que o façam ver que a vida vale a pena, que a vida não é essa rotina, esta repetição diária, onde nada cresce, tudo se mantém.

Então vou… para finalizar, dizer a vocês o seguinte: tudo que vocês mantêm numa rotina, nada muda, porque é como se vocês criassem uma máquina, em que todos os dias faz a mesma coisa. Agora se vocês quebram a rotina, se vocês quebram os paradigmas, a máquina não consegue se manter porque ela se perde; porque naquele dia você fez diferente, naquele dia você quebrou a rotina. De que forma? Mudando um caminho, fazendo coisas fora da ordem, mudando a sua forma de pensar. Tudo é possível. Agora para que algo aconteça, vocês têm que fazer uma escolha: quebrar a rotina. Porque enquanto vocês mantêm suas vidas exatamente iguais todos os dias, nada vai mudar, tudo permanecerá do mesmo jeito. Porque aquela máquina executará sempre as mesmas funções. Agora, chegará o dia em que aquela máquina enferrujará, porque você não cuidou dela, você simplesmente deixou ela sendo executada. E quem é essa máquina? É você mesmo.

Então cuide bem de você, se faça feliz, faça diferente, faça de outra forma, quebre a rotina. Eu garanto, que quando aquela máquina não conseguir mais executar a tarefa, porque não sabe o que virá a seguir, porque você está toda hora mudando a rotina, o próprio universo lhe mostrará novos caminhos; o próprio universo lhe mostrará novas formas de fazer, porque percebe que você mudou, percebe que você não quer fazer todo dia a mesma coisa. E é isso que vocês colherão. Experimentem. Façam diferente, pensem diferente, e vocês verão como as coisas mudarão.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras