Arcanjo Miguel – As Ações para Gaia

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!

Gosto muito de ver a movimentação que estou vendo agora. A ação em relação à Gaia é necessária e bem-vinda. A mudança, é desta forma que ela começa: um pouco aqui, um pouco ali, uma mudança de consciência, uma mudança de atitude. Eu diria mais, pequenas mudanças de consciência e de atitudes. Nunca pensem que um pequeno gesto não leva a nada. É com um pequeno gesto, que uma nova consciência se forma e ela pode se expandir cada vez mais.

Talvez durante muito tempo, a falta de consciência, a falta de cuidado, a falta do entendimento do que era este planeta, levou muitos de vocês a atitudes incorretas. Da mesma forma, que hoje muitos tomam conhecimento das atitudes que suas almas tiveram ao longo das suas caminhadas e ficam horrorizados, por terem sido capazes de fazer o que fizeram; a consciência em relação ao planeta segue o mesmo rumo.

Naquele tempo, em tempos passados, em tempos de violência, em tempos de magia, em tempos de guerras em nome de Deus, em nome de algo que apenas trazia o proveito daqueles que os governavam; muita coisa foi feita, muitas vidas foram ceifadas, muito sofrimento foi trazido ao planeta e aos seus habitantes. Mas qual era a consciência daquela época? Havia a consciência que vocês têm hoje? Com certeza não, porque vocês seguiam ordens e ordens daqueles que supostamente tinham um contato direto com Deus Pai/Mãe. Então vocês apenas obedeciam.

Com o passar do tempo, muita coisa foi mudando, mas o conceito em relação ao planeta, não se alterou muito. O planeta era apenas um pedaço de terra, de água, onde vocês poderiam tirar dele tudo aquilo que precisassem sem limites; e assim foi feito e é feito até hoje. Então ficar se culpando, ficar triste, ficar reclamando, pedindo perdão à Gaia; não digo que não tenha resultado. O perdão pedido à Gaia é importante, pois mostra aí o primeiro passo da sua consciência, mas de que adianta somente pedir perdão?

Um fato passado, uma morte nas costas de outras vidas, nada pode ser feito em relação a isso; o que está feito está feito. A única ação que você pode fazer, realmente é pedir perdão aquela alma ou àquelas almas. Isto é um fato concreto e real, porque não há como mudar aquilo mais, aquilo passou. Então vamos falar do momento presente. Os erros cometidos graves ou não, trazem consequências e vocês estão vivendo as consequências dos erros praticados. Agora pedir apenas perdão à Gaia, não muda muita coisa; aplaca o seu sentimento de culpa.

Mas o grande momento agora é de ação, é de mudança. O pedido de perdão é válido, mas até onde ele mudou a sua consciência, até onde ele modificou as suas atitudes, a sua forma de viver? Eu diria que na grande maioria em nada. Volto a repetir: muitos pedem perdão à Gaia para aplacar a sua culpa, nada mais. Agora, você pede perdão à Gaia, mas começa a abrir a sua consciência, começa a mudar as suas atitudes, começa a ter outros hábitos e costumes, hum, aí sim, você começa a mostrar que algo está mudando dentro de você. E eu diria mais, agir, fazer algo, apenas num momento, vocês se unem, planejam ações e naquele momento fazem. Aí chegam em suas casas e não se preocupam por nada. O momento de consciência foi efêmero, foi rápido, foi só aquele em que você se juntou àquele grupo e fez algo; para você, é suficiente, você já fez a sua parte.

Será? Será que isso é suficiente? Ou mudar a consciência, é mudar como um todo, é mudar seus hábitos, é mudar as coisas em suas casas, é mudar muita coisa, não apenas num momento, não apenas num horário, não apenas falar coisas bonitas. O grande foco é fazer, é mudar, é encontrar novos caminhos e novas soluções. Então eu digo a cada um de vocês: Vejo que estão muito animados em fazer ações para Gaia. Gostamos disso, ficamos bastante felizes de ver que vocês estão tomando alguma consciência. Porém gostaria que essa consciência não fosse momentânea, que ela fosse uma atitude a ser vivida a todo instante, a todo momento.

Não sejam apenas aquela pequena chama, que quando encontra um mato seco, toma força, queima, queima, queima e quando o mato acaba, a chama também acaba. Não sejam essa chama, não queimem nada. Vocês têm sim, que se colocarem ativos como aquela chama, vibrantes como aquela chama, mas não percam o estímulo ao final. Quando digo, não queimem nada, não é literalmente falando, que vocês vão tocar fogo em nada; é apenas que vocês não queimem esse entusiasmo que está surgindo agora.

Digo a vocês que falar, planejar, montar ideias é fácil. Agora quero ver a ação propriamente dita. Então muitos se reúnem, muitas conversas, muitos dão ideias e o que é efetivamente feito? Eu diria muito pouco. E mais uma vez eu gostaria de sugerir, o que já temos dito há algum tempo aqui: criar novos caminhos dá trabalho, leva à erros, muitas vezes até, a perda de tempo. Já existem muitos grupos por aí trabalhando por Gaia, tomando ações efetivas a favor de Gaia. Então o momento não é de vocês ficarem sentados, se juntando, colocando ideias no papel, porque na hora de aplicar essas ideias, vocês vão encontrar inúmeros obstáculos e talvez percam esta força e energia que vocês estão agora, porque serão tantos obstáculos a serem vencidos, que vocês perderão o entusiasmo.

Então por que não fazer diferente? Busquem aqueles que já fazem. Não é o momento de ego. “Ah não, fui eu que criei esta ideia, fui eu que tive o pensamento, então tem que ser do meu jeito!” Não há mais ego nesse momento. O momento é de ação, o momento é de ações conjuntas, ações com aqueles que já passaram por tudo isso e já sabem hoje, enfrentar os obstáculos. Nunca se esqueçam que dentro de onde vocês moram, existem leis, existem regras. Então não é apenas você acordar um dia e decidir que irá plantar mil árvores por onde você passar; não é assim, não pode ser assim. Existem leis, existem normas em cada cidade, em cada estado, em cada país. E aqueles que já passaram por tudo isso já sabem exatamente o que podem e o que não podem fazer.

Então o momento agora não é criar nada, o momento agora é união. Entre em contato com quem já faz, com quem hoje talvez esteja de braços cruzados, por não ter pessoas para ajudar. E vocês como este grande grupo, poderão ser essas pessoas e começarem a fazer efetivamente a diferença. Não fiquem presos a estarem em grupos daqui ou de acolá, estamos falando de Gaia, não estamos falando de outro assunto. Então não se prendam a limites, a barreiras, espalhem-se pelo planeta. Não é criando grupinhos que vocês farão muita coisa. Tudo tem regras, tudo tem leis e tudo traz obstáculos.

Então se vocês querem se unir, unam-se a quem já existe e já sabe o que fazer. Proponham suas ideias, criem novas ideias, apresentem, mas ouçam aqueles que já tentaram fazer muita coisa e não conseguiram. Então não deixem o ego falar mais alto. “Tem que ser do meu jeito, tem que ser do jeito que eu falei!” Neste momento, isto não pode mais acontecer. A ação é conjunta, a ação é todos atuando pelo planeta. Esqueçam os limites destes grupos aqui. A ação é global, não é individual, não é ação de um único canal, a ação é de todos. É isto que estamos pedindo. Então parem de se limitar, parem de querer fazer as coisas ao modo de vocês.

Se estamos dizendo isso é porque já sabemos o resultado, que será praticamente nulo se vocês decidirem começar do zero. Busquem aqueles que já estão atuando. Peçam a nossa ajuda e nós levaremos vocês àqueles grupos, àquelas entidades que já fazem um bom trabalho e que estão muitas vezes paradas, por não terem mais ajuda. Então nos peçam que levemos vocês a eles e nós levaremos. Não perca tempo em criar estradas, se já existem pessoas que já abriram essas estradas. Não queiram fazer valer os seus egos. Não há mais ego a atuar neste momento. O momento é global, o momento é pelo planeta. Não queira aparecer porque a ideia foi sua. Você teve uma ideia brilhante, ótimo, passe-a para os outros, não queira ser aquele que vai fazer tudo sozinho, só porque a ideia é sua.

Mas caso vocês não concordem com nada disso que estou dizendo, fiquem muito à vontade, façam do jeito que vocês quiserem. Agora, depois não reclamem, depois não olhem para trás e lembrem: “Poxa, perdemos um bom tempo e fomos avisados disso”. Estamos avisando, não estamos aqui privilegiando ninguém. Apenas o que queremos é que vocês se juntem àqueles que já fazem algum trabalho. Cresçam esses grupos, tornem estes grupos mais fortes, porque quanto maior os grupos, maior é a atuação e maior é o resultado.

Então se cada um de vocês, em vez de ficar pensando… “o que vou fazer, o que posso inventar”; busque quem já faz. Pequenas ideias são boas, mas por conhecer exatamente a mente humana, eu digo a vocês, que se vocês como uma simples semente apresentam uma ideia a quem está à sua volta, dificilmente ela será aplicada. Agora, se uma grande entidade começa a fazer um trabalho de propaganda, espalhando a ideia para o Todo, isto muda de figura. Porque as pessoas respeitam mais, ideias que vêm de entidades, do que apenas de uma pessoa.

Não se esqueçam que vemos a mente humana, e sabemos que ninguém gosta de aceitar ideias do outro. “Quem é ele para me dizer o que fazer?” É assim que vocês pensam, a grande maioria. Então, a conquista, a ideia, tem que vir de uma coisa um pouco maior. Aí sim as pessoas começam a perceber que aquela ideia já se espalhou por muitos lugares do planeta. E aí podem até mudar de ideia, podem aceitar aquelas ideias.

Para encerrar, vou repetir: Vocês têm o livre arbítrio. Façam aquilo que vocês acharem que é o certo. Estou apenas mostrando o caminho mais fácil, o caminho mais próspero, e o caminho que dará um resultado melhor e em muito menos tempo.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras