Arcanjo Miguel – O Vai e Vem na Estrada da Ascensão

Queridos! EU SOU O ARCANJO MIGUEL!

Quero iniciar esta semana com vocês. Não, não há nada de especial nesta semana, apenas gosto de vir aqui de vez em quando, para deixar um pouco da minha energia, da minha força, da minha coragem, para cada um de vocês. A caminhada está difícil? A caminhada está dura, está confusa? Muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. É, eu diria que para aqueles que estão na estrada, aquela estrada da ascensão, eu posso afirmar que a cada passo dado, a estrada se torna um pouco mais surpreendente.

Não imaginem que vocês terão uma estrada florida, limpa, sem obstáculos algum, que vocês até poderiam andar de olhos fechados, pois não iriam tropeçar, não iriam cair; mas ao mesmo tempo vocês também não querem fechar os olhos, porque as flores são belíssimas, a natureza se torna cada vez mais esplendorosa, porém algo estranho parece acontecer. Vocês sabem que a estrada é assim, mas as suas visões começam a se tornar um pouco turvas, parece que vocês não conseguem enxergar mais nada com nitidez e clareza. Por que será?

Então, vamos aqui colocar o que está acontecendo com vocês. Imaginem vocês dentro de um grande turbilhão. Não, não, não se imaginem totalmente cobertos com água. Imaginem que este turbilhão acontece do seu pescoço para baixo e vocês não conseguem firmar o pé. Mas aquele turbilhão não é muito profundo, você consegue encostar o pé no chão, mas a força da água lhe tira do lugar, lhe sacode, lhe derruba.

Você muitas vezes mergulha, lhe falta o ar. Sente medo, e de repente a sua cabeça volta para o exterior e aquele turbilhão continua ali mexendo. Parece que o seu corpo está mudando, parece que aquela água que está ali à sua volta, está penetrando a sua pele, mudando internamente tudo que tem aí dentro. Às vezes dói, às vezes coça, às vezes é uma sensação de um arrepio, às vezes parece que você levou um choque. Você ouve barulhos, ouve vozes, ouve cantorias, ouve músicas… parece que você está enlouquecendo.

O mundo à sua volta gira, no mesmo sentido do seu turbilhão e você já não consegue mais ter atenção a nada. Você quer fixar a sua mente, a sua visão em um ponto, mas não consegue mais, porque você roda o tempo todo. Ah, não podemos esquecer das tonteiras, das náuseas; alguns chegam a vomitar. Mas que turbilhão é esse? Então, eu gosto muito de colocar as coisas com imagens, porque dentro da mente tridimensional de vocês, vocês conseguem entender melhor.

Então imaginem que vocês têm uma piscina, uma piscina pequena que cabe apenas uma pessoa. A água está um pouco abaixo dos seus ombros. Então você está ali tranquilo, de vez em quando mergulha, de vez em quando volta à superfície; é uma água morna, agradável, você está ali relaxado. Aí você resolve que quer ascender. Você decide: “Não. Eu quero ascender, eu quero chegar lá”. E quando você pensa esta decisão, não precisa nem dizer nada, bastou pensar; é como se essa piscina de repente, se tornasse uma grande batedeira. e você começa a girar.

Aquelas águas, outrora tão calmas, tão cálidas, começam a lhe mexer, ou lhe jogar para um lado, para o outro. Não, não, você não se machuca porque é uma piscina especial onde as paredes são fofas. Então você poderá bater à vontade que não irá se machucar. A velocidade ainda não é muito grande, mas você já sente que não consegue mais ficar parado no lugar. E aí ao mesmo tempo, alguém lhe apresenta um belo programa ou vários programas, que você poderia fazê-los de dentro da piscina. E aí como uma televisão, você escolhe um daqueles programas para assistir. E por uma estranha coincidência cada programa que você escolhe, a piscina se torna mais vigorosa, e você tenta desligar aquele programa mudando de canal. É, mas a piscina não melhorou, continuou lhe balançando.

Aí você pensa que pode substituir um programa pelo outro, escolhe mais um. Ah, péssima decisão, porque a piscina ficou mais agitada ainda. E assim você vai tentando fazer muitos programas, assistir vários deles, para tentar fazer a piscina parar. Só que a cada um que você escolhe, ela se torna cada vez mais agitada. E você quer sair desse turbilhão, você quer voltar aquela calmaria, você quer voltar a deitar na rede e ficar pedindo tudo. Mas aquela vozinha lá dentro fala assim: “Não, você tem que ascender, você precisa passar por este turbilhão!”

Então, cada programa daquele, que vocês escolheram é um processo transformador, é um processo que muda as suas mentes, é um processo que limpa as suas almas, é um processo que faz vocês pensarem diferente. Então esse chacoalhar da piscina, nada mais é que arrancar do corpo, da alma, da mente de vocês, tudo aquilo que estava lá agarrado, incrustado, profundo, dentro da carne, dentro da alma, dentro da mente. E esses processos não são simples; tem que chacoalhar muito para que isso saia, descole de vocês.

Então esse chacoalhar é um pedido de perdão, é um movimento de perdão, é uma nova decisão de não cometer mais aquilo, é um novo caminhar pensando de maneira diferente, é olhar para o outro de outra forma. Cada chacoalhar é não julgar, cada empurrão é não criticar, cada mergulho forçado é não julgar. E com isso, com o passar do tempo, vocês começam até gostar desse chacoalhar. Vocês começam a aprender a manter os seus corpos equilibrados, mesmo dentro do turbilhão. Porque os seus corpos estão se limpando. Então aquele turbilhão começa a ficar um pouco mais fraco. Agora se vocês escorregam, se vocês voltam a ter os pensamentos antigos, as atitudes antigas, o turbilhão volta, porque vocês carregaram novamente, aquilo tudo que já foi retirado.

Então entendam meus irmãos, fazer uma meditação, fazer um procedimento, fazer qualquer coisa que passamos não é eterno, ele funciona naquele momento que você faz e permanece, se você se mantiver equilibrado. Se você não se cuida, se você toma foco em energias não positivas, todo aquele trabalho se vai. É como se nada vocês tivessem feito. É por isso que a caminhada da ascensão é um vai e volta. Vocês dão passos para frente; difíceis, arrastados… agora voltar é rápido e tem velocidade. É por isso que muitas vezes, vocês não saem do lugar, parecem estar nadando, nadando, nadando e nunca chegam na praia, apesar de vocês estarem vendo a praia logo ali. Porque vocês escorregam.

Vocês deixam pensamentos ruins povoarem suas mentes. Vocês se ligam a energias que não são boas. É claro que eu não vou dizer para vocês e nem posso afirmar isso, que nada do que vocês fazem é desnecessário. Porque cada vez que vocês tomam uma decisão de fazer algo, vocês são impulsionados para frente. É isto que faz vocês andarem para a frente. Agora, infelizmente, vocês também voltam a todo tempo. Cada coisa que baixe a energia de vocês, faz vocês voltarem, e vocês voltam numa velocidade absurda, porque assim é. Se fosse apenas fazer tudo que passamos, vocês já estariam lá na Quinta, mas não é assim. Tudo que nós passamos e orientamos, leva vocês pra frente com toda certeza.

Agora tudo que vocês vibram errado, empurra vocês para trás e vocês voltam muitos passos, enquanto que, quando fazem um procedimento, quando assistem aqueles programas, da nossa televisão, vocês andam para a frente, mas não é um caminhar rápido, é um caminhar lento. Por que que é lento? Se temos tanta força, se temos tanto amor em tudo que fazemos para vocês, por que que é lento? Porque isso precisa ir modificando suas mentes. O aprendizado é que faz vocês se manterem lá na frente. Quando vocês têm a consciência de uma energia negativa e vocês dizem não para ela, o aprendizado aconteceu e aí vocês não voltam. Vocês podem até não ir para frente, porque se depararam com aquela energia, mas vocês não voltam.

Então aquele aprendizado aconteceu, os passos que você deu para a frente, você continua lá, você não voltou. Então é o aprendizado que faz vocês irem para frente, não são os nossos processos. Eles impulsionam vocês para frente, agora manter-se lá é o aprendizado de vocês, é cada ponto, é cada momento, cada escolha que vocês fazem. Aí sim vocês se mantêm lá na frente. Não pensem, que fazendo tudo que nós passamos é que levará vocês para a Quinta Dimensão. Volto a repetir: O que nós passamos é só um impulso, é como se catapultássemos vocês lá para frente. Agora permanecer lá, não é o que passamos, que faz. São as decisões, são as escolhas, são as energias com as quais vocês se conectam.

Andar para frente na estrada da ascensão não é difícil, tem muitas técnicas que ajudam. O grande problema é permanecer lá, no ponto onde vocês chegaram. Mas eu garanto a vocês, que com o passar do tempo, aquele turbilhão não mais ficará forte, porque vocês terão aprendido a lição. Hoje, quando vocês dão um passo em falso, os seus corpos gritam, as suas mentes gritam. Aqueles que estão conscientes sentem… “Fiz algo errado!” Porque o seu próprio corpo já se manifesta.

Então neste momento, é hora de parar e pensar: “O que foi que fiz de errado?” E o simples fato de parar, sentar e analisar, já mostra que você está tendo consciência. O seu retorno não será tão grande, porque você está aprendendo a lição. Então cada vez que vocês erram e têm a consciência do erro, aquele escorregão para trás não é tão violento, vocês não perdem tanto da estrada. Então neste momento, a única coisa que vocês precisam se preocupar é com seus pensamentos, com suas atitudes, com suas palavras, com seus sentimentos, para que vocês consigam ficar, aonde tudo aquilo que vocês estão fazendo, está levando vocês. Caso contrário, vocês vão e voltam, mas voltam muito e terão que começar tudo de novo na caminhada.

Não, não precisa recomeçar todos os procedimentos, isto seria inviável. Apenas é um aprendizado, continuem de onde estão. Mas aprendam a ter consciência dos erros que cometem, do que vocês estão emanando. Tudo tem consequência, a cada ação uma reação. Então tenham muito cuidado, tenham muito respeito por cada escolha que vocês fazem, para que vocês consigam se manter lá na frente; aonde cada coisa que vocês fazem está levando vocês.

Aprendam, não adianta pedir perdão para nós. “Ah, errei me perdoem!” Não, não, não, não peçam perdão para nós, porque nós não julgamos e nem perdoamos ninguém. Porque não há o que perdoar. Vocês não nos fizeram nada, vocês fizeram contra vocês mesmos. Mas também não se julgue, também não se crucifique, também não se martirize. Errou? O que você tem a fazer? Decretar que aquele erro jamais será cometido novamente e cumprir a palavra. Não permitir que aquele erro lhe envolva mais uma vez. Aprendam a viver o amor incondicional, este é o primeiro e grande passo. Porque quando vocês tomam a decisão de viver apenas com o amor incondicional, todo o resto fica pequeno, todo o resto fica fácil de ser levado.

Porque viver no amor incondicional é que é o difícil. É onde vocês magoam, vocês não agem com amor, vocês podem até não falar, mas pensam criticando. Então fechem seus pensamentos e bocas. Quando perceberem que vão fazer, falar, ou agir, ou pensar algo errado, parem imediatamente, mudem a vibração. Porque se vocês mudam a vibração, a escorregada é pequena, ela instantaneamente para. E vocês mudando a vibração, começam a andar para a frente de novo. Esta é a grande lição.

Não coloquem tudo nos procedimentos e técnicas que vocês fazem, elas não são milagrosas; elas impulsionam sim, vocês para frente, se feitas com amor, com dedicação, impulsionam. Mas vocês é que se mantêm lá na frente, não a técnica.

Então não fiquem achando, que por fazer a técnica “A”, a “B”, a “C”, a “D”, a “E”, mil técnicas, vocês estarão cada vez mais lá na frente. Sim, estarão cada vez mais lá na frente, mas cada erro que você cometer, cada erro que você não cuidar, você volta, volta, e vai voltando e vai voltando e todo aquele espaço que você caminhou, você perderá tudo.

Então não coloquem as técnicas como um trampolim, para que vocês cheguem mais rápido lá na frente e permaneçam lá. Vocês chegarão sim lá na frente, agora permanecer lá, é outra história.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras