Maria – Parem de Olhar a Caminhada do Outro

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU MARIA!

Mais uma vez trago comigo o meu manto, mas trago um manto para cada um que está aqui neste momento, e coloco sobre cada um de vocês. Não importa quem você seja. Não importa se você é da Luz ou não é; meu manto está disponível para todos e sempre amarei a todos igualmente.

O momento que vocês estão passando é um momento turbulento onde parece que um grande caldeirão está fervendo dentro dos seus corpos. Já vejo muitos aqui respondendo: “Por que o caldeirão? Caldeirão é de bruxa, bruxo, e eu não sou isso”. Percebam como vocês colocam força onde não é para ser colocado. Um caldeirão é qualquer objeto que possa ser colocado água e fervido; por que precisa ser um caldeirão de bruxo ou de bruxa?

E aí eu lhes pergunto: Todos os bruxos e bruxas são do mal? Muitos de vocês foram bruxas ou bruxas em encarnações anteriores. Por que tanto julgamento? Não vou mudar a minha imagem; é um caldeirão, fervendo, abaixo de cada um de vocês. O que acontece quando ferve? A água se transforma em vapor e vai subindo.

Então eu vou incrementar este caldeirão; ele não tem água, dentro dele estão todos os sentimentos, tudo aquilo que você já viveu, todas as energias geradas. Então este caldeirão está fervendo e as energias estão subindo e ele continuará fervendo até que não haja mais o que ser sublimado. O que acontece quando as energias sublimam e sobem? Elas tomam conta da sua consciência e você de alguma forma terá que lidar com ela, terá que olhar para ela, e dependendo das suas escolhas e decisões ela poderá simplesmente ir embora; ser transmutada e deixar de fazer parte do seu caldeirão. Ou não; você poderá solidificá-la novamente e ela voltar para o caldeirão, só que com uma diferença: ela volta maior, mais forte, mais profunda.

Então neste momento vocês estão lidando com sentimentos bem estranhos, com sentimentos que não entendem, com sentimentos que lhes fazem duvidar se estão mesmo no caminho da Luz. E como saber? Não é fugindo dos sentimentos, é olhando para eles, sem medo. Eles poderão até ter uma cara feia, poderão fazer caretas, mas eles são fruto da sua consciência. Então quem é que manda? Você? Então olhe para eles com Amor, com carinho, e você verá como que eles perdem a força e vão se tornando pequeninos e fáceis de serem resolvidos. Ou não, coloque mais medo e raiva sobre eles e eles se transformarão em pequenos monstrinhos. A decisão é de cada um.

Meus filhos e filhas, os caldeirões estão fervendo, colocando os sentimentos para fora, e tenham a certeza, vocês se depararão com tantos sentimentos horríveis, e dirão: “Não, isto não é meu!” Sinto lhe dizer que é, e que você tem apenas que olhá-lo com Amor e carinho, e simplesmente ele desaparecerá quando você entender o que ele significava.

Meus filhos e filhas, muitos obstáculos aparecerão no caminho. Olhá-los com resignação, aceitação, com entendimento que o mundo não gira em torno de você, que aquele problema pode ter sido causado para uma lição, não para você, mas para o outro. E infelizmente você estava no caminho daquele outro e recebeu um pouquinho daquela lição. Então se você aceita, entende, está tudo certo, você colabora com a lição do outro; agora se você recebe com raiva, esbravejando, reclamando aquela lição que não era sua, passa a ser também, porque você se acoplou a ela, você se uniu a lição do outro. Agora você tem 2 problemas: lidar com o que não aconteceu para você e com os sentimentos que você acabou de gerar.

Então, quando as coisas não acontecerem do jeito que vocês imaginam, não reclamem. Há toda uma conspiração no universo para a caminhada de cada um. Então a sua caminhada está entrelaçada com a caminhada de muitos e as lições dos outros chegam até você; compete a você se envolver nelas ou não. Se você simplesmente aceita e deixa passar, muito certo, aquilo não lhe atingiu; o seu ego não conseguiu lhe fazer crer que aquilo era para lhe atingir. Você entendeu que foi apenas um contratempo e que o outro é quem precisa aprender algo, não você.

Ah sim, eu diria que você aprendeu a perceber que o mundo não gira em torno de você, que muitas vezes os contratempos não são para você, mas que você tem que aprender a aceita-los, a entender o lado do outro. Procurem pensar nisso, antes de julgar, antes de criticar o outro e acabar absorvendo uma lição que não é sua, é do outro.

Então vou voltar ao caldeirão. Os sentimentos estão aí, saindo, todos, e eu diria que às vezes saem todos de uma vez só, e é difícil para vocês lidar com todos eles. Mais uma vez eu digo: Peçam a nossa ajuda para que a gente coloca algumas coisas de volta no caldeirão e vocês possam lidar com cada um a seu tempo. Mas vocês esquecem disso. Só reclamam, esbravejam porque não conseguem lidar com tudo ao mesmo tempo. Muitos problemas ao mesmo tempo é sinal de que você está tentando carregar tudo sozinho. Peça a nossa ajuda.

Estamos aqui. Eu não vou dizer para você que estamos sem fazer nada todo o tempo, dormindo na rede como diz Miguel, apenas esperando o pedido de ajuda, mas posso garantir a você que quando ouvirmos o seu pedido, ele é prioridade para nós; e estaremos prontos a lhe ajudar. Peça a nossa ajuda e colocaremos um pouquinho de água fria naquele caldeirão para aquele ferva mais devagar e você possa lidar com tudo o que está acontecendo calmamente e tranquilamente.

Não se julguem, não se desesperem, porque tantos problemas estão aparecendo. Eles precisam subir para irem embora e a forma correta de mandá-los embora, é olhá-los com Amor, com carinho, com aceitação; não com raiva, nem julgamento.

Posso garantir a vocês que nenhum de vocês está vivendo um tempo fácil. Alguns estão bem, mas de vez em quando vem algo que precisa ser resolvido ainda; outros estão totalmente envolvidos por tudo aquilo que está subindo do caldeirão. Cada um está vivendo o seu momento. Cada um está vivendo a sua evolução.

É uma pena que muitos, em vez de olharem para si mesmo, olham para o outro, olham para a caminhada do outro. Criticam, julgam, atacam o outro, quando o momento é de olhar para si, entendendo que se o outro está fazendo algo errado ele colherá mais à frente; não precisa do seu julgamento, da sua crítica, do seu apontar de dedo. Cada um colhe o que planta. Agora, o seu julgamento, a sua crítica, o seu apontar de dedo o atingirá com certeza, porque você lançou uma energia sobre ele; agora não se esqueça que esta energia, dependendo da forma e da intensidade que você emanou, voltará para você. Não importa quando, mas voltará.

Então de que adiantou você criticar o outro? Você só está somando mais energias negativas ao seu caldeirão, que eu garanto que deve estar bem cheio, porque se estivesse vazio você não estaria mais se preocupando com o outro, estaria apenas olhando para si, para a sua caminhada, que é o que cada filho e filha neste planeta, neste momento, deve fazer.

Não importa o que você pensa, o que você acha em relação ao outro; nada mudará em relação ao que você pensa, porque a caminhada é do outro, não sua. Então olhe para a sua caminhada, esqueça a do outro. Vocês ainda não aprenderam isso. Lembrem-se, existe um caldeirão fervendo, jogando para cima todos os sentimentos que vocês precisam transmutar, e quando vocês julgam e criticam o outro, este é mais um sentimento que irá para aquele seu caldeirão, porque você invadiu a energia do outro, você emanou algo ruim em relação ao outro e isto voltará para você, para dentro do seu caldeirão. É bom isso? Se pergunte, se você está eliminando os sentimentos do seu caldeirão ou está a cada dia somando mais?

Meus filhos e filhas, tudo está acontecendo muito rápido. Olhem para as suas caminhadas, esqueçam a do outro. Por mais que vocês dentro das suas consciências achem, acreditem, que o outro está errado, o problema não é seu, o problema é do outro; ele estará atraindo para o caldeirão dele as ações que ele fizer. Então pare de encher o seu; cuide do que você já tem aí. Não aumente mais os seus problemas. Não se esqueçam disso.

Cada um deve cuidar da sua caminhada. E não estou preocupada se vocês estão estranhando ou não a palavra caldeirão. Sinto a energia de alguns. Vocês estão me julgando ou estão julgando quem está falando? A palavra é minha e eu estou trazendo isto aqui e agora, para testar cada um de vocês. Até onde vão as suas crenças? Até onde vai o acreditar? Até onde? Comecem a ouvir o que dizemos com o coração, pois caso contrário, a cada dia, mais dúvidas entrarão em suas mentes.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras