Sananda – O Acreditar

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!

Mais uma vez, estar aqui é motivo sempre de muita alegria. É a oportunidade que tenho de estar um pouco mais perto da mente de cada um de vocês. Hoje eu quero trazer um assunto um pouco complexo, eu diria, um assunto polêmico também eu diria. O acreditar, o crer. O que é o acreditar? Muitos chamam de ter fé, confiar. É uma forma de entender o que é acreditar. Agora é muito importante, que não traduzam o acreditar, colocando no ser ou naquilo, todo seu empenho, todo o seu desejo, como se fosse algo mágico em que você acredita e pronto, acontecerá. Aí muitos poderão dizer: “Ah, mas isso acontece com muitos por aí.”

Sim, mas você está dentro deles para saber o que eles fizeram, além de acreditar? Você acompanha a caminhada deles, você acompanha os sentimentos deles? Não, você só está olhando externamente. Acreditar é colocar foco, correto, acreditar é ver acontecido, correto, acreditar é não se incomodar no como, correto, tudo isso está correto, são passos do acreditar. E onde entra a sua parte, onde entra o seu quinhão nessa história toda? Vou dar aqui um exemplo: Você tem uma semente, você planta essa semente, a terra, a água, o Sol faz com que essa semente brote e ela poderá em algum tempo, se transformar num belo vegetal, numa bela árvore, dependerá da semente plantada.

Aí você me dirá: “Viu a árvore nasceu sozinha, eu não fiz nada.” E eu lhe respondo: Realmente a sua única interferência foi colocar a semente na terra. Mas pela própria natureza da semente, ela tem um ciclo evolutivo, ela tem um ciclo de vida, onde ela sabe que estando no meio adequado ela precisa se desenvolver e ela tem toda a ajuda da natureza para chegar ao final do seu processo. Então não compare os seus desejos, as suas crenças, com uma semente. A semente é viva, ela contém vida dentro de si. As células de uma semente, por mais que pareçam mortas, estão em plena evolução e se colocadas no meio correto, elas germinam e brotam. Não compare os seus desejos com uma semente.

Então vamos lá, você quer muito ter algo e você apenas coloca uma ideia em algum lugar, mas esquece dela. Um dia você plantou essa ideia, mas o que você fez com ela? Nada, você não colocou foco, você não viu ela acontecendo, você não acreditou que ela pudesse germinar e brotar, porque ela não tem vida, ela é apenas um desejo. Um desejo é algo que está em sua mente, não na terra, não no ar, não na água, o desejo está em sua mente. Você apenas emana para o universo o que você quer e aí você passa a acreditar que aquilo dará certo. Mas você teve a ideia e acreditou uma única vez, não alimentou essa ideia. O que acontece com ela?

Novas ideias vão surgindo e ela vai sendo soterrada por ideias mais novas e mais recentes, e aí um dia você se lembra daquela ideia… “Olha nunca mais eu pensei naquilo.” E aí ela volta a ser prioridade de novo. Mas você esquece novamente e ela vai sendo enterrada pelas outras. Então vamos colocar uma outra ação:

Você tem a ideia e a cada dia você a alimenta, alimenta com quê? Não é com água, não é com sol, não é com terra. Você alimenta com bons sentimentos, você alimenta com alegria de ver a ideia se manifestando, com a alegria de ver a ideia se concretizando. Mas você faz isso sempre que possível, você se lembra e coloca um pouquinho mais de adubo naquela ideia. E cada vez que você faz isso, você emana um sentimento e aquela ideia vai crescendo no universo. Mas se você por um acaso esquecer, ela vai murchando, vai perdendo o viço e quase morre para o universo. Ele deixa de dar atenção a sua ideia porque você mesmo não está dando mais atenção a ela.

Agora se você frequentemente, olha para a ideia, lembra dela e coloca mais uma semente, mais um adubo; não semente, não adubo físicos, mas aquele sentimento de realização, aquele sentimento da alegria, de ver a ideia se formando, ela também vai se formando no universo. E ela começa a brotar e germinar no universo e quando você coloca alegria e foco suficiente, a ideia se realiza, porque você a fez crescer, você a alimentou, você deu força para que ela crescesse. Não foi uma ideia que você plantou em sua mente… “Ah, deixo por conta do universo.” Sim o universo fará, mas o universo sempre atende em primeiro lugar, aquelas que são alimentadas, que são regadas frequentemente e a sua vai ficando para trás.

Então o que é o acreditar? Acreditar é colocar foco, é manter no foco, é fazer crescer a ideia, é adubar a ideia com mais ideias complementares, para que ela cresça, para que ela tome corpo. Então farei um paralelo, quando vocês acreditam em nós: “Ah, eu acredito no ser tal, no ser tal, no ser tal.” Muito bem, aí falamos algumas coisas e você nos contesta, você não segue os conselhos que damos, você não aceita o que nós dizemos. É claro que não queremos aqui bonecos nem marionetes, porque vocês têm o livre arbítrio. Mas em alguns pontos que falamos, se vocês não concordam ou não acreditam, vocês acabam atraindo para vocês mesmos muitas dúvidas.

E dúvidas é um sentimento muito poderoso, porque faz com que aquele acreditar se rompa, aquele acreditar não seja forte o suficiente. E aí tudo que nós falamos, você passa a contestar, você passa a duvidar e cada vez mais isto também cresce, porque você está alimentando dúvidas, você já não confia mais naquilo que dizemos. E o seu acreditar vai sendo minguado, vai sendo destruído. Volto a dizer que não queremos bonecos, nem marionetes que balancem e concordem a cabeça com tudo o que falamos. Vocês precisam pensar, com certeza que sim, pensar a respeito do que falamos é uma coisa, duvidar ou não acreditar é outra coisa.

Pensar a respeito é dar o tempo para que a sua mente absorva o que falamos, entenda, assimile, está tudo certo. Agora, contestar, duvidar sobre o que falamos, aí o seu acreditar já está há muito contaminado. Então encerrando este assunto tão complexo que coloquei aqui, de forma tão simples, mas que não é tão simples assim, eu diria apenas o seguinte: Acreditar é colocar foco, é pensar a respeito.

E quando aparecer uma dúvida, não deixar ela crescer, buscar o entendimento, buscar a verdade, para que o acreditar cada vez mais se solidifique. Porque se você deixa a dúvida crescer, este acreditar vai minguando e chegará o ponto em que tudo o que falarmos você contestará, você não acreditará em mais nada. E será muito difícil de você ver a verdade, porque você se deixou levar pelo que está aí fora lhe envolvendo e lhe trazendo as dúvidas. Quando vocês não entenderem algo que falamos, peçam que mostremos de uma forma simples e que vocês sejam capazes de entender a verdade daquilo ali e teremos o maior prazer em mostrar. E sempre mostramos, não fiquem com dúvida, quem duvida não acredita e quem acredita não duvida.

Em que ponto da caminhada vocês estão em relação a nós, a todos nós? Vocês acreditam em tudo que falamos, acreditam de olhos fechados, sem nem entender o que é, isso também não é bom, porque aí você está sendo uma marionete. É acreditar entendendo o que estamos falando e se não entendeu, peça que explicamos. Isso é acreditar, é confiar, é colocar foco, é ter fé. Mas não aquela fé que vai colocar um copo sobre uma prateleira e ter fé que dali brotará algo. É preciso que vocês já estejam muito evoluídos para que isto aconteça, suas mentes ainda não são capazes disso. Então tenham fé em coisas palpáveis, em algo que vocês possam participar na criação. Aí sim, o acreditar será perfeito e o universo fará sua parte, ajudando com que aquilo aconteça no seu caminho.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras