Sananda – Saibam Aprender com as Quedas

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!

Sim mais uma vez eu serei grato, por poder no dia de hoje, estar aqui passando minhas ideias, meus ensinamentos, para que vocês possam ouvir. O intuito não é que vocês os sigam sem pensar, sem analisar, pois isto não vem do coração. Cada ensinamento, cada palavra é para ser entendida e absorvida. É preciso que o coração se abra, é preciso que o coração se ilumine e aí sim, aquele ensinamento, aquelas palavras ficarão plantadas ali e darão frutos com o passar do tempo.

É importante mais uma vez repetir: não queremos seres robotizados, ouvindo aquilo que dizemos. Queremos seres que absorvam, entendam, compreendam e plantem nossas palavras em seus corações. Viver na Terceira Dimensão é um desafio dentro deste mundo da dualidade que vocês enfrentam neste planeta. Um dia eu estive neste mundo e vivi tudo isso; vivi a dualidade, vive o ódio, o preconceito, vivi contra os poderosos e fui morto por causa de minhas ideias, porque elas eram contrárias às que eles queriam.

Mas minhas palavras, meus ensinamentos e o Amor por todos neste planeta não morreu, sobreviveu e tem sobrevivido durante todos esses anos, milênios poderia dizer. E hoje posso ter voz novamente, posso vir e falar para vocês como fiz há muito tempo atrás. Todos me ouvem? Não, nem todos, porque suas crenças ainda não os libertaram para entender que o mundo hoje está aberto. A sintonia com o universo foi libertada. Qualquer ser humano hoje pode e deve se conectar com o Ser de Luz que queira.

Mas isto antes não era possível? Era, mas podemos dizer que haveria muito ruído na comunicação, porque vocês estavam totalmente isolados do universo. É claro que nossa energia sempre ultrapassou qualquer barreira, mas a barreira que havia sobre vocês era muito forte para que vocês ultrapassassem ela. Hoje não há mais barreiras, há um caminho livre e iluminado para qualquer um de nós.

Muitos têm experimentado visões, vozes ou simplesmente, palavras que chegam nas mentes e ainda se perguntam se estão ficando loucos, ainda não se deram conta do que efetivamente está acontecendo. Então, pouco a pouco, todos deste planeta experimentarão muitas coisas que nunca imaginaram. Muitos se recolherão nas suas religiões, pois acharão que estão sendo atacados pelos demônios e os grandes dirigentes das mesmas, farão questão de dizer isso para que aquele pobre ser que não entende o que acontece, se recolha cada vez mais até enlouquecer.

Aqueles que forem capazes de dizer: “Não, eu quero entender, eu quero viver isso, eu quero compreender o que está acontecendo”, se rebelarão. Cortarão as amarras e se permitirão viver tudo isso, viver a evolução da mente, viver a ascensão. Hoje não podemos simplesmente enumerar quantos estão efetivamente despertos e quantos estão efetivamente absorvidos pela não-Luz por tantas dúvidas e tanto medo. Porque este número oscila a cada instante, mesmo aqueles que estão despertos oscilam muito, porque o próprio meio lhes apresenta desafios difíceis, que no momento, eles ainda não estão prontos para superar. E isto faz com que duvidem das suas próprias capacidades da superação e aquilo se torna tão forte, tão bloqueador, que a oscilação é imensa.

É como se vocês tivessem hoje o poder de andar sobre as águas. Quando vocês se elevam, quando seus corações estão cheios de Luz, quando seus corações estão cheios de Amor, vocês andassem sobre as águas e nem se dessem conta disso, andam normalmente como se andassem sobre o solo. Mas em determinado momento, quando os obstáculos aparecem, vocês olham para o chão e percebem que não há chão, aí vocês afundam. Porque a crença, a elevação, não é capaz de sustentá-los mais sobre a água, porque vem o medo, vem a dúvida: “Eu sou capaz disso?”

E aí vocês mergulham, voltam para dentro da água. E aí um longo caminho volta a se apresentar, até que vocês percebam mais lá na frente, que são capazes novamente de andar sobre as águas. Mas novamente sem perceber o caminho, porque a elevação é tão grande que o caminho pelo qual vocês estão andando não é o importante. O importante é o que está lá na frente, é a Luz que os absorve, é a Luz que os atrai.

Muitos não mergulham apenas, muitos afundam e afundam profundamente. Neste momento não comecem a ter pensamentos de afogamento, isto tudo é uma forma de eu explicar a vocês, o que acontece com a energia de vocês. Ninguém se afoga, essas águas não são líquidas, são águas etéricas. Então aqueles que afundam, afundam e afundam, muitas vezes atingem níveis muito profundos de afundamento; pois a dúvida, a raiva, o ódio, a vingança, se apodera deles e os puxam cada vez mais para baixo.

E vale lembrar, que este oceano de águas etéreas não tem fundo, ele é infinito. Então você afundará, afundará, de acordo com a sua vibração. Mas se um dia você perceber que está no caminho errado, é como se automaticamente, um belo animal aparecesse e lhe desse uma carona, e você subisse rapidamente para aquela superfície. E ao enxergar a Luz, seu coração se enche de alegria, se enche de esperança e você simplesmente sai da água e volta a caminhar sobre ela.

Então, assim estão vocês hoje, andando sobre as águas em direção à Luz. E algumas vezes, mergulhando, afundando para viver um sentimento não conhecido ou algo que ainda vocês precisam aprender. Para muitos que estão despertos, este mergulho é pavoroso, é como um sinal de incapacidade, um sinal de que está fazendo tudo errado. Então vamos aprender algo aqui: Imaginem uma estrada longa, muito bonita, muito bem cuidada. No seu mundo é aquela estrada em que o carro viaja sem nenhum impacto, sem nenhum atropelo. Mas em algum momento dessa estrada, por obra do destino, um buraco se abriu. Mas você vem naquela estrada tranquilo, sem se dar conta de que mais a frente, poderia haver um buraco. Porque você está tão acostumado naquela estrada tão bela, que isto jamais aconteceria. E de repente, você se vê dentro dele.

“Como assim, uma estrada tão bela ter um buraco no meio?” E aí vocês terão que parar e ver como sair daquele buraco. Mais uma vez eu digo: não há acidente aqui, isto tudo é figurativo, ninguém se machuca. E assim é a caminhada de vocês, vocês estão seguindo em direção à Luz, mas haverá aqueles momentos em que vocês afundaram sim, porque precisam ainda limpar muita coisa que está aí. Então não é que aquele momento lhe tenha dito: “Olha você não está no caminho da Luz não, você está se enganando. Olha onde você está, você está no fundo do oceano”. Não é isso que acontece. Este mergulho é para aprendizado e limpeza.

E se o aprendizado e a limpeza forem eficientes, mais à frente você estará andando sobre as águas de novo, voltando à sua vibração, a sua elevação em direção à Luz.

Então não se julguem tanto, não se crucifiquem quando caem no buraco, quando afundam no oceano. Saibam que estes afundamentos são necessários, para que vocês efetivamente, se limpem de tudo o que é preciso. O caminho até a Quinta Dimensão não é só Luz e alegria. É preciso que muita coisa ainda seja vivida e aprendida. E é dentro do oceano dessas águas etéricas, que vocês aprenderão, para que possam subir de novo à superfície e continuar a caminhar sobre as águas.

Não se exijam demais, não se crucifiquem, não é por aí o caminho. O caminho é: Afundou? “Bom, preciso sair daqui de dentro. O que preciso fazer, o que preciso aprender?” E você saberá e ao aprender e fazer o que for preciso, você subirá novamente. Então quero dizer a muitos de vocês que hoje, que acham, duvidam que ainda estão no caminho: que não se olhem com tanto julgamento, as quedas são normais, fazem parte da caminhada. O único ponto de atenção em todas essas quedas é se elas acontecem repetidamente e frequentemente, aí eu diria que sim, você está seguindo um caminho errado. Não está conseguindo se manter sobre as águas e você terá que tomar cuidado para que o caminho em vez de ser para cima, para andar sobre as águas, seja em direção ao fundo do oceano e ficará cada vez mais difícil você subir para encontrar a Luz.

Então façam este pequeno exercício: vejam-se andando sobre as águas. Não como super-humanos, não como super-heróis cheios de poderes. Estas águas são o limite entre a Terceira e a Quinta Dimensão. Se vejam andando sobre elas e quando caírem, vocês verão a queda. Simplesmente não se desesperem, encarem o problema, aprendam com ele e vocês verão como rapidamente, vocês subirão novamente para andar sobre as águas.

Pensem sempre desta forma; olhem um sol brilhante lá na frente, uma Luz intensa, ofuscante, mas agradável e que principalmente, vocês possam olhar para ela e se vejam andando sobre as águas. E quando vocês verem que caíram, ali está um ponto de atenção. Ao caírem se perguntem: ”Por que caí, o que preciso aprender e o que preciso fazer para voltar à superfície?” Escutem as respostas e rapidamente vocês voltarão a andar sobre as águas.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras