Sananda – Sobre Doação

Queridos filhos e filhas do planeta Terra! SOU SANANDA!

Hoje inicia-se um novo passo para este grupo, um passo importante, um passo de extrema entrega e de exercício do aprendizado do amor incondicional. Já comentei aqui sobre a doação. A doação para ser aceita pelo Universo, como um exercício do amor incondicional, ela tem que vir do coração; ela tem que ter alguns pré-requisitos, que terão que acontecer antes que ela seja efetuada.

Primeiro, saber se quem está recebendo, quer receber aquilo; este é o primeiro ponto. É o respeito àquele, que você dentro do seu conceito, da sua ótica, acha que ele precisa aquilo que você quer doar; e que para ele, será motivo de muita alegria e de muita luz, não motivo de humilhação ou de demonstração de que ele é inferior; não consegue viver sem ajuda do outro. Este é um ponto que a grande maioria de vocês não pensa. Vocês tomam a decisão: “Eu vou doar porque ele precisa”. Ele disse que precisa? Ele lhe pediu?

Muitas vezes não, você interpreta que ele precisa e muitas vezes ele aceita por educação, mas quando você vira as suas costas, aquilo que você doou é extremamente amaldiçoado. Porque ele não pediu nada, você empurrou aquilo para ele, sem que ele houvesse lhe pedido algo. Eu já falei sobre isso aqui. Então o primeiro ponto é o respeito. Se você quer ajudar alguém espere que ele peça, ou se ele não pede, muitas vezes por vergonha, exatamente por achar que é humilhação e que não tem o direito de perturbar ninguém, você poderá oferecer. “Você quer a minha ajuda? Posso lhe ajudar em algum ponto?” E deixar que o outro responda, e deixar que o outro escolha. “Não obrigada, não quero sua ajuda, ou sim, eu aceito a sua ajuda, o que você puder fazer eu aceitarei de coração”. Perfeito, aí o processo inicia e tem fim, de uma forma amorosa, e de uma forma boa para ambos os lados.

Doar simplesmente para aplacar a sua culpa, por não fazer nada…; não posso afirmar aqui que não adianta de nada, eu estaria sendo irônico. Não é este o caso. Mas se você quer realmente aplacar a sua culpa…, onde eu lhe digo que não existe culpa. Você não é obrigado à ajudar ninguém. Não existe a obrigação, existe o sentimento de solidariedade.

Então não pode haver culpa. Quando você sente culpa, aquele sentimento bonito, elevado de amor, se esvai. Porque você está fazendo aquilo, não por amor, mas por culpa, por nunca ter feito nada. “Então vou doar um pouquinho, para aplacar a minha culpa”. Tenha certeza de que nada acontecerá para você, porque você não fez aquilo de coração, você fez para aplacar a sua culpa.

Então o que tenho a dizer à vocês, é que este é um gesto muito sério e muito profundo para a alma de vocês. Doar! O que é doar? É dar sem pedir nada em troca. E quando eu falo sem pedir nada em troca, é isso mesmo. Sem querer que aquela pessoa fique lhe bajulando a vida inteira; sem querer que aquela pessoa fique sua escrava ou dependente, porque você a ajudou; sem querer que aquela pessoa, lhe faça favores pelo resto da vida, só porque você a ajudou.

A doação é algo que começa com a sua vontade, cheia de amor, de fazer pelo outro, e se encerra, no momento em que você entrega para o outro; o processo acaba aí. Se amanhã este outro passar por você, e lhe virar as costas, não emane nenhum sentimento por ele. Não diga: “Ingrato! Fiz tanto por ele e agora, me vira as costas”. Você está cobrando. Você doou, ele recebeu, encerrou. Se ele aceitou de mau coração o que você doou, o problema não é seu, o problema é dele; ele plantou aquilo e ele irá colher. Você fez o seu papel, então não o julgue, não espere que ele fique lhe bajulando a vida inteira porque você o ajudou.

Muitas vezes aquele que vira as costas é por vergonha, por achar que nunca na vida, iria precisar de ajuda de alguém. Mas precisou e você ajudou. Então a vergonha faz até com que ele seja mal educado, mas no fundo não é nada disso. Então não julgue, se amanhã aquele que você ajudou, lhe virar as costas. Cada momento é um momento. Você doou, ele recebeu, pronto, a sua ação está completada. Desde que ele tenha lhe pedido e aceito com coração, a ação se completou. O que acontecerá dali para diante, não importa mais. Então você deverá esquecer exatamente o que fez; nem cobrar, nem ficar acompanhando… “Ah eu vou ver o que fulano fez, com que eu doei para ele”. Mas você doou sem esperar nada em troca. Por que que você tem que acompanhar o que o fulano irá fazer depois de doar?

Você está julgando, querendo que ele faça com o que você doou, aquilo que você quer. Então se ele simplesmente pegar o que você doou e gastar sem propósito, o problema é dele, não seu mais. Você fez a sua parte, você o ajudou no momento que ele lhe pediu. Então perante o Universo, você está bem. Agora se ele pegou essa ajuda e saiu gastando exageradamente, não dando valor ao que recebeu, não é problema seu, é problema dele.

É claro que você num futuro, terá todo direito, de se ele venha lhe pedir novamente, você apenas dizer: “Ah, infelizmente hoje eu não posso doar”. Sem maiores explicações… “Ah estou sem isso”… “Não simplesmente, não posso”. Acabou. Você não é obrigado a compactuar com os erros dele, procure outra pessoa para doar.

A doação é um ato de amor, então não tem cobrança, não tem vigia, não tem observação, não tem julgamento. Doou, o outro recebeu de coração porque ele pediu, muito bem, a sua parte está feita; o que o outro irá fazer é problema dele, não mais seu. Então inicia-se hoje aqui, uma campanha de ajuda e que irá se disseminar, para muitas outras campanhas de ajuda. Não tomem decisões, nem entendimentos precipitados. Ninguém está sendo obrigado à nada.

Não existe aqui uma cláusula, que quem está aqui ouvindo é obrigado a doar. Doa quem tem vontade, doa quem pode aceitar que o outro precisa, simplesmente porque precisa.

Não cabe à vocês… “Ah, peraí, se eu vou doar eu quero saber, porque que tá pedindo ajuda, porque que chegou esse ponto?” É problema seu? Não é problema seu. “Ah, mas se eu doar, para uma pessoa que não vai saber fazer nada com o que eu doar, não adiantou de nada!” Volto a repetir: não é problema seu. Quem doa não espera o retorno.

Doar, o próprio nome, a ação já diz: é dar sem pedir nada em troca. Então é simplesmente doar. O que o outro vai fazer com o que você está doando, volto a repetir, não é problema seu, é problema do outro. Ele estará criando uma nova colheita, boa ou ruim, dependerá de como ele receberá essa doação.

Então por favor, pensem bastante antes de fazer. Tenham o coração leve, tenham o coração limpo, sem julgamentos, sem críticas, sem vigília do que o outro irá fazer. “Ah, eu não sou capaz de pensar assim.” Então não doe. É muito simples, nada é obrigatório. Tudo tem que vir do coração, tudo tem que vir com o amor, com a entrega. Se você não se sente capaz de doar com amor, sem nada mais, apenas doar e encerrar ali, então não faça. Porque eu não quero amanhã, ninguém perturbando o lado de cá, com críticas sobre o que vocês fizeram. Eu espero que vocês estejam entendendo muito bem o que eu estou dizendo.

O que a pessoa que vai receber, o que será arrecadado aqui, irá fazer, é problema dela.

Se ela for grata, se ela tiver um coração imenso, ela irá usar isto da melhor forma possível, para resolver o problema dela, porque ela tem um problema imenso nas mãos. Agora se der uma louca nela e ela pegar tudo que arrecadar e sair gastando numa bela viagem de férias, não é problema de vocês, é dela. E ela estará selando o destino dela, que quando provavelmente voltar da viagem de férias, ela irá morar na rua, porque não soube aproveitar o que recebeu aqui. Vocês entendem, que cada um colhe o que planta?

Então não é função de vocês criticarem o que ela irá fazer, é problema dela. E se ela tem uma intenção, ela irá fazer ou não; continua sendo problema dela.

Então a doação é de coração. A doação é sem ficar comentando, observando o que ela está fazendo. Se você não é capaz de apenas doar e esquecer, então não faça. Porque você estará plantando, algo diferente de doar. Aí tem o ego… “Se eu dei, eu controlo o que eu dei”. Não, você não controla nada. Você deu, ponto, encerra ali a sua participação na vida do outro. O que o outro vai fazer é problema dele. “Ah, mas se eu doei e o outro não fez nada, eu joguei dinheiro fora!” Percebe que aí tem o ego, percebe que aí já tem o julgamento? Você já está julgando que ele vai jogar o seu dinheiro fora. Mas peraí, o dinheiro não é dele, você não doou para ele? Então o dinheiro deixou de ser seu, como assim ele vai jogar o seu dinheiro fora? O dinheiro não é mais seu, o dinheiro é dele, ele recebeu na doação. Então ele faz o que ele quer, não importa que você ache que ele está errado, problema seu. E você também vai colher esta sua atitude; nada passa em branco, nada passa em vão.

Quem doa e depois se arrepende, plantou isso e vai colher na frente. O que que vai colher? Falta, escassez, porque teve pena de doar o que é seu. Entende que está fazendo errado, porque tirou de si para o outro; então é escassez o resultado. Repetindo. Hoje inicia-se uma nova proposta dentro deste projeto. Tudo será feito dentro da Lei. Então não fiquem imaginando coisas, de como será ou deixará de ser. Tudo será comunicado, tudo será explicado. Neste primeiro momento, ainda não tem nada pronto, mas existe uma urgência. Então tudo será feito conforme foi explicado, para que não dê problema para ninguém e para que a pessoa que precisa, seja ajudada.

Esse é que é o ponto principal e nós estaremos ajudando, para que tudo flua levemente, para que dentro da Lei tudo se organize e muitas pessoas possam ser ajudadas. De antemão eu já digo: Não vamos sustentar ninguém. Por que eu disse vamos? Porque será Miguel quem irá escolher quem irá receber. Ele já disse isso. Então não pensem que vão se aportar aqui e receber mensalmente, não é esta a proposta. A proposta é ajudar muitos, sem repetir. Participou uma vez, não participará mais, por um bom tempo. Pois a ideia é espalhar pelo Todo, não focar num ponto só.

Como será isso? Tudo será explicado a seu tempo. Então não fiquem imaginando, que vão poder colocar pessoas para viverem às custas do que será feito. Não será isso. A ideia será colaborar para ajudar grandes grupos, não pessoas isoladas. Já estou deixando isso muito claro, ninguém aqui irá ajudar pessoas isoladas. O que está acontecendo agora é para iniciar o processo. Vai acontecer esta vez e não mais. É só para que vocês comecem a sentir o que é a doação, observar o que é a doação. Mas uma única pessoa receber, não mais, esta será a primeira e a última. E por que ela está participando, por que é amiga? Não, porque nós autorizamos. Então também não julguem neste ponto. Quem já julgou, morda a língua.

Se estará aqui, iniciando este novo projeto é porque nós autorizamos, senão ela não estaria. Mas será a primeira e a última pessoa isolada, a receber ajuda. As próximas vezes, nos próximos meses, serão para grupos, não mais pessoas isoladas. Todas as regras serão informadas a tempo. Então não fiquem imaginando como será, vocês vão perder tempo, porque Miguel já escreveu as regras. Não serão vocês que vão colocar as regras, as regras são dele e ele já as escreveu, ele já as passou e será exatamente como ele planejou. E vocês sabem como é? Não, não sabem. Então não fiquem imaginando, nem falando, nem comentando, nem julgando, algo que vocês ainda não sabem.

Como Miguel costuma muitas vezes dizer: Nada que fazemos, não tem propósito. Tudo tem propósito, tudo tem teste, tudo tem lição. Então vamos dizer que esta primeira etapa é um teste surpresa, mas de um nível bem, bem baixo, um nível fácil de ser completado. Os próximos, aí já entraremos no nível avançado. Vocês não estão lidando com um ser humano. Nada é feito sem a nossa autorização e sem a nossa orientação.

Então vocês estão lidando é com a gente. Ela propõe; a gente aceita ou não. E neste caso, nós aceitamos e nós autorizamos. Então cuidado com os pensamentos, cuidado com os julgamentos. A vida dá muitas voltas… ninguém sabe o dia de amanhã. Não cabe à vocês julgar, nem condenar ninguém. Então espero que tudo tenha ficado muito claro. Observem muito como vocês estarão doando, para que amanhã vocês não façam uma colheita inadequada.

Posts recentes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha Experiência

Carrinho de compras